Terça-feira, 25 de Março de 2008

Conversa com o Dr. Luís Souto - Excerto

Ficam aqui alguns dos momentos mais importantes da Conversa do dia 12 de Março com o Dr. Luís Souto, Presidente da ADERAV.
 
 
"CC: O que é para si uma Cidade Criativa?
LSouto: Uma "Cidade Criativa" é aquela que de certo modo permite dar asas à imaginação, ao sonho de cada um. (...)  Se uma cidade não permitir sonhar, ambicionar, ter projectos individuais de vida, também não o será colectivamente. É preciso que a cidade crie condições de sonho para que ela seja uma realidade em que dê gosto viver.
CC: Boa resposta. De que modo pode o património (cultural e natural) potenciar essa cidade individualmente colectiva?
LSouto: Martin Luther King falava num sonho (I have a dream) e com isso não queria desmobilizar as pessoas em torno de utopias mas numa construção de ideais. O Património pode ser um elemento estruturante de uma cidade criativa e que estimula a criatividade. Se pudermos desfrutar da natureza, da água que nos percorre, por exemplo, teremos aí fonte de criatividade e de projecto individual e daí também colectivo.
 
(...)
 
CC: Que medidas tomaria para promover essa mais chegada relação entre os diferentes pontos da região? (Não de modo a torna-los indistinguíveis, mas, entendemos, formando uma rede contínua e interactuante).
LSouto: Por exemplo: o património arquitectónico de Aveiro é certamente melhor entendido e defendido se pensarmos à escala regional. No património natural a mesma coisa. Como posso aceitar que numa entrevista a um jornal local, o presidente da junta de freguesia de Requeixo venha, a propósito da Pateira, vir dar uma coroa de louros ao presidente da Câmara de Aveiro, tendo com isso uma atitude de profunda injustiça para com Águeda e promotora de rivalidades estéreis. Este é só um exemplo negativo
LSouto: A Pateira de Fermentelos é um óptimo exemplo: é algo que interessa a Aveiro, a Águeda e Oliveira do Bairro, em termos administrativos de municípios. Logo o que interessa é cooperação.
 
(...)
 
CC: E falando de cultura, que tal é essa interacção regional? Ou neste domínio devemos avaliar mais relativamente à cidade?
LSouto: Boa questão. Aí está outro exemplo da actuação descoordenada e do desperdício de recursos. Hoje a oferta cultural é diversificada mas chegamos ao ponto de haver sessões sobre os mesmos temas separadas por dias. Ora o público-alvo é restrito. É preciso um mecanismo de concertação de programação entre os diferentes agentes culturais, envolvendo nisto Ílhavo e Estarreja eventualmente."
Carolina, Tomás, André e Patrícia às 11:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

O Grupo

Pesquisar neste blog

 

Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Recentes

Resultados das votações

Podcast

"Exposição em Crescimento...

Os jovens e a política

O pedido de desculpas

Área de Projecto

Colóquio (II)

Colóquio - Os desafios de...

"Volta ao mundo 2.0"

Conversa Aberta "Avenida ...

Arquivo

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

PODCAST

Links

blogs SAPO

Feed: